Para Ouver Imagens: Oficina de Audiodescrição

Para "ouver" imagens – Oficina de áudio-descrição de obras de artes visuais bidimensionais acontece dia 29 de junho, em Copacabana.

Dar a conhecer o fluxo da Informação em Arte inerente à prática da áudio-descrição de obras de artes visuais bidimensionais como forma de estruturar um novo modelo de exposições acessíveis e acessáveis para todos. Este é o objetivo da Oficina de Áudio-Descrição Para "ouver" imagens que vai acontecer no dia 29 de junho de 2013, das 9h às 17h, na Estação Espaçonave, em Copacabana, no Rio de Janeiro. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 26 de junho (quarta-feira). As vagas são limitadas e os interessados devem enviar mensagem para acessivelacessavel@gmail.com informando nome completo, instituição (ou se é autônomo), além de informar um telefone para contato.

A oficina terá como instrutora a jornalista, produtora de eventos, áudio-descritora e consultora de acessibilidade Verônica Mattoso, Mestre em Ciência da Informação com pesquisa-ação que deu origem à primeira exposição de obras de artes visuais bidimensionais áudio-descritas realizada no Estado do Rio de Janeiro: "Ancestralidade no Universo: a Força da Origem – AUFO" foi desenvolvida em dezembro de 2010, com foco no potencial informativo da áudio-descrição como representação sonora da Informação em Arte e contribuiu para promover o fenômeno de "ouver" (ouvir+ver) imagens para visitantes com deficiência visual.

Além da instrutora, os participantes da oficina terão a oportunidade de interagir com dois convidados: a artista plástica Teresa Moura (autora das obras de artes da Coleção Orixás que integraram a exposição AUFO e que serão utilizadas como instrumento de estudo durante a oficina) e com o consultor de acessibilidade e tecnologia assistiva Marcio José Felipe (representante do grupo de pessoas com deficiência visual que visitaram a exposição AUFO).

A primeira edição da oficina foi realizada no dia 8 de junho de 2013, como parte das atividades da I BIENAL NACIONAL DE IMAGENS NA CIÊNCIA, ARTE, TECNOLOGIA, EDUCAÇÃO E CULTURA, evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT e realizado no Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Urca. Confira depoimentos de quem participou:

"A oficina foi uma oportuna e maravilhosa possibilidade de conhecer e me interessar mais sobre a áudio-descrição, bem como sobre os debates referentes à acessibilidade. Como desejo trabalhar fazendo a conexão entre a Arte e a Educação, tudo o que aprendi será integrado à minha prática, estudos e reflexões. O aprendizado humano também foi enriquecedor e me tornou mais sensível à necessidade do "outro" e à complexidade que isto confere. Muito Obrigada!" Angélica Lopes (graduanda em História da Arte – EBA-UFRJ)

"Sou professor de Química e estou cursando mestrado em ensino das Ciências. Nesse projeto, estou tentando viabilizar uma exposição e pretendo utilizar informações obtidas hoje para aprimorar meu projeto. A oficina foi muito interessante e pôde me mostrar, ainda mais, a necessidade de se criar estruturas para que ocorra a facilitação ao acesso à informação. Percebi que a áudio-descrição pode atingir não somente deficientes visuais e que o investimento em técnicas similares é de extrema importância para a minha profissão, já que sou professor e preciso atingir o maior número de pessoas possível. Parabenizo à Verônica, à Teresa e ao Márcio pela dedicação e quanto à clareza na transmissão de conhecimento e informação." Luis Gustavo Magro Dionysio (professor de Quimica no IFRJ e mestrando na área de ensino de Ciências)

"Sobre a oficina, achei excelente! A parte da manhã foi ótima; foi importante disponibilizar um CD-Room com informações complementares. A parte da tarde foi também muito boa, lúdica, etc. Acho que as informações que colhi hoje poderão ser utilizadas em minha tese e também em meu trabalho como professora. Como tenho alunos videntes e não-videntes repenso sempre a intermediação da arte que, no caso de minhas aulas é simultânea para ambos os grupos e precisa considerar as especificidades perceptivas de quem vê e de quem não vê". Leila Gross (professora de Artes Visuais do Colégio Pedro II e doutoranda em Educação na UFRJ)

"Eu adorei, como sempre adoro, estar nas atividades criadas por Verônica Mattoso. Acompanhar o desdobramento de sua versatilidade, consistência técnica e sabedoria tem sido uma grande escola para mim. Apresentando o mundo da áudio-descrição nessa Oficina, foi ao meu ver um salto quântico, unindo tudo que Verônica tem de mais maravilhoso e humano. Acompanhada do Marcio Felipe, que sem ele não teríamos o contato com esse universo de uma forma tão clara e emocionante, foi um sábado extraordinário! O grupo que foi atraído para esse encontro era formado por pessoas de um interesse, de uma presença, conhecimento, cada um na sua área de interesse, mas conseguindo integrar no foco da áudio-descrição. Espero, com muito entusiasmo, que esse grupo continue e que eu possa estar envolvida em qualquer nível com vocês. Muito agradecida por tudo!" Teresa Moura – artista plástica e diretora do Espaço Cultural Estação Espaçonave

"Adorei participar desta oficina, como convidado e como ouvinte, porque assim pude compartilhar informações ricas com diversos tipos de pessoas de diversas áreas e conseguir contribuir com minhas informações e sugestões para enriquecer ainda mais o conhecimento de todos. Meu ponto de vista sobre a instrutora Verônica Mattoso: ela teve pulso firme para conduzir a oficina durante todo o dia, mantendo em todos o interesse permanente no que estava sendo dito por ela, de forma que muitos tiveram emoções com a descoberta do grande potencial da áudio-descrição e outros recursos. Eu, sendo um deficiente visual, pude perceber o grande interesse e curiosidade de todos os participantes da oficina, incluindo o meu. Fiquei muito feliz por estar ali naquele momento e poder participar da troca de informações passadas não só pela instrutora como por todos e poder questioná-los e criticá-los. Com isso, surgiram novos aspectos a serem estudados, trazendo assim mais interesse de todos, não só o meu, como de todos que participaram da oficina. Aqui agradeço e desejo participar de outros eventos". Marcio Jose Felipe – Tecnólogo de redes de computadores e consultor de tecnologias assistivas e acessibilidade.

Fonte: email de Verônica Mattoso enviado para o blog

Mais sobre audiodescrição
A PUC Goiás e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas abriram oficialmente
Na próxima terça-feira, dia 14 de março, às 18h, o site do projeto Diversidade na
O 3° Encontro (Inter)nacional de Audiodescrição acontece de 26 a 29 de abril de 2017


Mais sobre audiodescrição
A PUC Goiás e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas abriram oficialmente
Na próxima terça-feira, dia 14 de março, às 18h, o site do projeto Diversidade na
O 3° Encontro (Inter)nacional de Audiodescrição acontece de 26 a 29 de abril de 2017