Plateia lotada no Cine Sabesp

O Cine Sabesp foi palco de mais uma sessão inclusiva para deficientes visuais. Desta vez, o filme exibido foi o "Tanta Água", produção uruguaia que é um dos destaques a programação do 8º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, patrocinado pela Sabesp por meio da Lei Rouanet.

A sessão, promovida pela ADEVA (Associação de Deficientes Visuais e Amigos), com o apoio da Sabesp e a colaboração do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, reuniu 216 pessoas, entre deficientes visuais, acompanhantes e cuidadores.

Antes da exibição do longa-metragem, o público foi recebido por Francisco César Filho, um dos diretores e curadores do Festival; Markiano Charan Filho, diretor-presidente da ADEVA; e pela assessora Paula Mendes, representando a diretora-presidente Dilma Pena.

Francisco César Filho agradeceu aos presentes por prestigiarem um evento inédito e pioneiro na história do Festival. "Estamos na oitava edição do Festival e acredito que tudo o que fizemos até aqui foi um caminho de aprendizado para chegarmos ao dia de hoje. Estou muito feliz e emocionado por presenciar este acontecimento", disse o curador, visivelmente comovido.

O diretor-presidente da ADEVA ressaltou o diferencial da sessão, que permitiu o acesso do público deficiente visual a um filme que integra um importante festival do calendário cultural latino-americano. "Essa sessão abre caminhos e traz aos deficientes visuais uma oportunidade muito especial de ter acesso a um filme que é destaque do Festival Latino-Americano", explicou.

A assessora Paula Mendes, por sua vez, reforçou a atenção da Sabesp à cultura, lembrando que a companhia é a empresa paulista que mais investe no cinema nacional. Falou ainda sobre a acessibilidade, que tem sido foco de diversas ações da companhia.

Acessibilidade

Esta foi a terceira sessão de cinema inclusiva promovida pela companhia no Cine Sabesp. Em oportunidades anteriores, grupos de deficientes visuais puderam assistir aos filmes "Onde está a felicidade" e "Colegas", ambos patrocinados pela Sabesp por meio do Programa de Fomento ao Cinema Paulista, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura.

As três sessões contaram com o diferencial da audiodescrição – recurso que consiste na descrição clara e objetiva de todas as informações visuais e que não estão contidas nos diálogos, como, por exemplo, expressões faciais e corporais que comuniquem algo, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, entre outras.

Além das sessões inclusivas, a Sabesp também disponibiliza aos seus clientes deficientes visuais a conta de água em braile, contribuindo ainda mais com a acessibilidade.

Fonte: Sabesp Notícias

Mais sobre audiodescrição
Nem todos os cidadãos conseguem ter acesso ao conteúdo que passa na televisão da mesma
Em audiência na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos
As TVs por assinatura são obrigadas por lei a transmitir integralmente os canais abertos locais,


Mais sobre audiodescrição
Nem todos os cidadãos conseguem ter acesso ao conteúdo que passa na televisão da mesma
Em audiência na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos
As TVs por assinatura são obrigadas por lei a transmitir integralmente os canais abertos locais,