Espiralando: exposição fotográfica acessível em comemoração das bodas de prata da Associação Morungaba

A Associação Morungaba inaugura no dia 12 de setembro, às 18h, a exposição fotográfica Itinerante Espiralando, que marca o início das comemorações dos 25 anos de sua fundação. A mostra será realizada no Memorial da Inclusão, na sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo. Na noite de abertura, a partir das 19h, haverá uma mesa redonda sobre o tema "Acessibilidade e Inclusão", com a participação do Secretário Adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Marco Antônio Pellegrini; de Paulo Romeu Filho, Consultor da Organização Nacional dos Cegos do Brasil; de participantes com deficiência do Projeto Use sua Cidade, da Morungaba, e convidados. A discussão é aberta a todos os interessados, e contará com interpretação em Libras (Lingua Brasileira de Sinais).

Exposição Espiralando, da Associação Morumgaba - descrição abaixo

A exposição Espiralando é composta por fotografias, de autoria de Ana Alcantara e de Ewandro Consolmagno, que retratam os projetos desenvolvidos pela Morungaba em 2012 e no início de 2013. Também será apresentado o logotipo da associação produzido especialmente para pessoas com deficiência visual usando resina acrílica.

Distribuídas em 12 bases, as imagens de Espiralando traçam um panorama das ações de inclusão social e convivência na diversidade, revelando o encantamento, a alegria e confiança dos beneficiados pelos projetos. Todas as imagens terão recursos de acessibilidade: audioguia com audiodescrição, impressão tátil em resina transparente e resina acrílica, além de uma nota proêmia (na qual uma pessoa envolvida na fotografia a descreve, permitindo uma percepção mais completa). Dessa forma, o evento procura garantir o acesso de todos os públicos aos seus conteúdos.

Espiralando é itinerante e permanece no Memorial da Inclusão até 20 de outubro. Depois, será exposta em diversos locais públicos na cidade de São Paulo, até novembro de 2014.

O QUE É A MORUNGABA

Fundada em 1989 pela bailarina e fonoaudióloga Renata Macedo Soares, a Associação Morungaba nasceu como um núcleo com o objetivo de democratizar o ensino da dança. Essas atividades aconteciam em sua sede, no bairro de Pinheiros, em São Paulo e em locais públicos e escolas, buscando estender suas ações a comunidades menos privilegiadas.

A partir do ano 2000, tornou-se uma organização não-governamental, sob a denominação Associação Morungaba, entidade sem fins lucrativos que tem o objetivo de promover a inclusão social por meio da arte, dança e projetos de convivência. As atividades são destinadas a crianças, jovens e adultos. As ações também incluem pessoas com deficiência e em situação de vulnerabilidade pessoal e social.

Seu caminho tem sido marcado pela pluralidade de métodos e abordagens. Ao longo destes anos, a Morungaba tem desenvolvido projetos em Bibliotecas Infanto-Juvenis, Centros de Convivência, Parques, SESCs, Centros de Educação Infantil, Escolas, Clubes e no Centro Cultural São Paulo entre outros, para que seus participantes possam se apropriar dos espaços públicos e terem acesso às atividades culturais.

A Morungaba tem como Missão implantar propostas de inclusão por meio das Artes, para todas as pessoas, com e sem deficiência, possibilitando um espaço de cooperação, por um processo lúdico, criativo e não competitivo.

Saiba mais sobre a Associação Morungaba: www.morungaba.org.br

SERVIÇO

Espiralando – Exposição Fotográfica Itinerante
Período: de 12/09 a 20/10
Abertura: 12/09, às 18h
às 19hs: Mesa redonda sobre “Acessibilidade e Inclusão” com a participação de Marco Antônio Pellegrini, Paulo Romeu Filho, participantes com deficiência do Projeto Use sua Cidade, da Morungaba, e convidados, que contará com interpretação na Lingua Brasileira de Sinais.
Local: Memorial da Inclusão – sede da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo
ao lado do Memorial da América Latina, na avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10 – Barra Funda.
Realização: Associação Morungaba e Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo
Fotógrafos: Ana Alcantara e Ewandro Consolmagno
Acessibilidade: Alfonso Ballestero (resina acrílica), IGUALE Comunicação de Acessibilidade (audiodescrição) e EFEITO VISUAL Serigrafia (impressão tátil transparente)
Consultoria: Paulo Romeu Filho e Amanda Tojal (Arte e Inclusão)
Apoio: efeito visual (serigrafia), iguale (comunicação de acessibilidade), Universidade de Brasília, Finep, Suzana Massini (projeto gráfico) e Ozé Temaki
Contato: Renata Macedo Soares – renata@morungaba.org.br – Tel: (11) 3083 6274

PraCegoVer: Descrição da imagem do convite de Espiralando

Na margem superior está escrito “espiralando” em letra cursiva na cor azul. Logo abaixo, em letra de forma na cor preta: “celebrando 25 anos de Morungaba”.
Abaixo no canto direito em laranja com letra de forma : “Exposição Fotográfica Acessível”. E abaixo desta frase: “de 12/09/13 à 20/10/13”, escrito em azul.
Na esquerda temos duas circunferências, desenhadas com vários traços finos, uma ao lado da outra. A primeira circunferência é feita nas cores amarela e verde e dentro dela tem uma fotografia de duas pessoas de costas se abraçando em baixo de um guarda chuva. A segunda circunferência é desenhada nas cores laranja e vermelha e dentro dela tem uma fotografia de uma criança com síndrome de down passando embaixo da perna de uma pessoa adulta, com calças vermelhas, que está sentada no chão com os pés encostados na parede. Esta criança está se dirigindo para passar embaixo do corpo de uma outra criança, em primeiro plano da fotografia, que faz uma ponte com os pés na parede e as mãos no chão. Ela está de ponta cabeça e veste uma blusa e calça azul escura e uma saia azul clara.
Outras circunferências menores e coloridas estão abaixo e à direita das duas maiores. Estas pequenas circunferências estão preenchidas por círculos, cada vez menores. Suas cores variam de amarelo, laranja verde azul e roxa.

Fonte: Secretaria da Pessoa com Deficiência

Mais sobre audiodescrição
Permitir que deficientes visuais fotografem e depois "vejam" o resultado do trabalho é a proposta
Fotografias que ficaram guardadas por anos e objetos pessoais do fotógrafo amador Alberto de Sampaio
Além da Pele: A Beleza da Alma e da Família é uma exposição composta por


Mais sobre audiodescrição
Permitir que deficientes visuais fotografem e depois "vejam" o resultado do trabalho é a proposta
Fotografias que ficaram guardadas por anos e objetos pessoais do fotógrafo amador Alberto de Sampaio
Além da Pele: A Beleza da Alma e da Família é uma exposição composta por