Gato Malhado e Andorinha Sinhá

No próximo dia 05 estreia em Porto Alegre uma montagem inspirada na história infantil O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, da obra homônima de Jorge Amado. A direção geral e idealização deste trabalho é da coreógrafa e bailarina Carla Vendramin, que tem fomentado a cultura da dança com pessoas com e sem deficiências em Porto Alegre. O espetáculo permanece em cartaz de 05 de outubro a 03 de novembro, sempre aos sábados e domingos, 16h, no Teatro de Câmara Túlio Piva.

Gato malhado e andorinha sinhá

Gato Malhado e Andorinha Sinhá é um espetáculo de dança contemporânea que foi contemplado com o Prêmio Funarte Petrobras de Dança Klauss Vianna/2012 e aborda a (im)possibilidade da relação entre um gato e uma andorinha, cujos mundos os tornam "naturalmente" inimigos. O cenário deste encontro é um parque, onde as mudanças das estações – o vento, o tempo e a manhã -, trazem atmosferas poéticas para a história. O gato malhado – visto como uma figura antipática e amedrontadora -, vai mudando de humor nas diversas etapas da história. Os bichos se agitam e a vida no parque vai se transformando em porções de felicidade e tristezas que o vento traz e leva, pois, sendo vento, pode mudar as coisas de lugar.

O Gato Malhado e Andorinha Sinhá é um espetáculo para conquistar crianças de todas as idades, possibilitando diferentes modos de apreciação e entendimento.

Após sete anos de estudos com companhias importantes na Inglaterra, como Candoco Dance Company, Carla vendramim realizou seu primeiro trabalho na cidade com Perspectivas: Instalações Coreográficas, apresentado em 2011 na Galeria Xico Stokinger, com o financiamento do Fumproarte e apoio institucional do Museu de Arte Contemporânea do RS. Neste projeto dançaram as bailarinas convidadas Julie Cleves de Londres e Mickaella Dantas, uma das bailarinas do GDD – Grupo Dançando com a Diferença, dirigido por Henrique Amoedo e que esteve recentemente em Porto Alegre com o espetáculo Dez Mil Seres, integrando o Porto Alegre em Cena. Dentro das iniciativas tomadas com o intuito de fomentar a apreciação e o entendimento sobre a dança com pessoas com e sem deficiências, Carla teve um papel fundamental para a vinda desse grupo a Porto Alegre.

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá tem coreografia de Carolina Teixeira e direção cênica de Plínio Marcos Rodrigues, que também atua na peça. No elenco estão bailarinos de diversas faixas etárias, vindos das mais variadas experiências, como a própria diretora, Carla Vendramin, Daniel Corrêa, Luciana Hoppe, Roberta Spader, Silvia Wolff e Thiago Rieth.

Carla Vendramin é mestre em coreografia pela Middlesex University, Londres 2008. Na Inglaterra trabalhou com companhias importantes na cena de dança com grupos de bailarinos com e sem deficiências como Candoco, Dance Art Foundation, Adam Benjamin, Entelechy Arts, Step into Dance do Royal Academy of Dance, NewVic School. Além de "Perspectivas", outras peças que se destacam em seu trabalho com grupos de habilidades mistas: Entradas, Saídas e Labirintos (Caxias do Sul, financiamento Financiarte, 2012); Corpo Fechado/Corpo Aberto (Companhia Dreamtime, Milão, como coreógrafa convidada com apoio do edital de intercâmbio do Ministério Brasileiro da Cultura, 2012), Mostra Brasileira de Dança (Recife, 2012). Além destes, Carla trabalha com performance e recebeu em 2012 o Prêmio Açorianos de Destaque em Dança pelo seu trabalho no PEP – Programa de Estudos em Performance. Com uma longa trajetória em dança, foi bailarina em grupos proeminentes da cena de dança de Porto Alegre, como Ânima, de Eva Shul, Tubo de Ensaio, de Cibele Sastre, e Fato, de Tatiana da Rosa.

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá terá apresentações com audiodescrição coordenada pela Mil Palavras Acessibilidade Cultural.

Gato Malhado e Andorinha Sinhá: Ficha técnica

Direção geral e gestão de projeto -– Carla Vendramin
Direção cênica – Plínio Marcos Rodrigues
Direção de produção – Viviane Falkembach – Íris Produções
Criação corporal – Carolina Teixeira
Elenco – Beta Spader, Carla Vendramin, Daniel Corrêa, Luciana Hoppe, Plínio Marcos Rodrigues, Silvia Wolff e Thiago Rieth
Vozes em off – Carla Vendramin, Carolina Teixeira, Plínio Marcos Rodrigues e Téo Rodrigues
Texto inicial – Estêvão da Escuna
Dramaturgia – Plínio Marcos Rodrigues, a partir de roteiro baseado na obra de Jorge Amado
Trilha sonora original, arranjos, preparação vocal e musical – Cuca Medina
Mixagem e masterização – Rodrigo Avellar de Muniagurria
Improvisação e composição – Carla Vendramin
Body-Mind Centering – Luciana Hoppe
Ballet – Silvia Wolff

Fonte: Dica de Teatro

Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma


Mais sobre audiodescrição
A partir deste sábado, 5, estarão abertas as inscrições para a quinta edição do Programa
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
Atualmente, é possível acomodar em um mesmo espetáculo um público de surdos, que acompanha uma