UFPE promete: sala de cinema exibirá filmes audiodescritos

O projeto Cinema da UFPE tem apresentado sinais concretos de que vai sair do papel. Após a visita, na última semana, do membro da Cinemateca Brasileira – órgão vinculado ao Ministério da Cultura -, Osvaldo Mery, considerado um dos grandes nomes na consultoria de projetos destinados à exibição cinematográfica, o projeto começou a “tomar corpo”. A sala de exibição, a ser instalada no saguão do Centro de Convenções da Universidade Federal de Pernambuco, tem previsão para ser aberta ainda no primeiro semestre do próximo ano.

E, de acordo com o coordenador do projeto de implementação do Cinema da UFPE, Paulo Cunha, esse prazo será cumprido, pois as reformas do Teatro da UFPE não vão atrapalhar o andamento da iniciativa. "A consultoria de Osvaldo Mery foi de grande valia, pois nos deu um norte. A decisão importante é que há condições para a sala ser em formato de arena, o que seria único no Recife. Pois essa configuração exige uma grande altura, com um pé-direito de oito metros. Isso permite uma maior inclinação de poltronas, um maior conforto visual. E nenhuma sala no Recife tem altura pra isso".

Os equipamentos a serem adquiridos também prometem ao cinéfilo uma boa experiência. O projeto prevê uma projeção digital DCP 4K, de alta performance, e instalação de som Dolby 7×1, itens tido como “top de linha”. “A iluminação será em LED, mais fria, o que ajuda a trabalhar a cor. O conceito básico do projeto é oferecer ao público uma projeção perfeita”, afirma Paulo Cunha.

O planejamento do Cinema da UFPE também garante acessibilidade, não somente do ponto de vista estrutural – como rampas, espaços para cadeirantes e corredores com escritos em braille – mas de destinar à programação ao público com deficiência ou necessidades especiais. "A proposta é realizarmos sessões especiais com audiodescrição", declara o coordenador. O espaço deve contemplar mais de 250 lugares.

Definidos o formato e a estrutura do espaço, os próximos passos serão que tipo de programação será oferecido e qual valor o público irá pagar. Assuntos que serão discutidos pela curadoria, ainda não definida. "A princípio, a intenção é proporcionar uma programação de altíssimo nível, além de oferecer um equipamento cultural a Zona Oeste do Recife, tão carente de opções nesse sentido. Em relação ao ingresso, serão avaliados entre os três meios possíveis: a entrada gratuita, a paga integralmente ou a paga com subvenção – esta permite um valor mais baixo mas não paga a manutenção do local", explica Paulo Cunha.

Saiba mais

Prazo – O período determinado para o funcionamento do Cinema da UFPE deve ser cumprido, segundo o coordenador Paulo Cunha, porque além de não receber interferência das reformas no teatro, não haverá alterações estruturais para a construção da sala de exibição. Toda a estrutura do espaço será aproveitada.

Fonte: Folha de Pernambuco – Recife/PE

Mais sobre audiodescrição
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Em 2017, 50% dos cinemas das redes com mais de 21 salas deverão estar equipados


Mais sobre audiodescrição
A Ancine e o setor decidiram quais vão ser os tipos de arquivos com audiodescrição
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Em 2017, 50% dos cinemas das redes com mais de 21 salas deverão estar equipados