Prêmio Acessibilidade da São Paulo Escola de Teatro

Promover o debate e premiar profissionais e ações voltadas à acessibilidade é a proposta do Prêmio Acessibilidade 2013, promovido pela SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. O Prêmio é dividido em cinco categorias: Artes do Palco, Políticas Públicas, Cidadania, Equipamentos Culturais e Personalidade do Ano. Cada uma delas tem 10 nomes, indicados por um júri composto por sete nomes de diversas áreas. A votação estará aberta até o dia 31 de janeiro pelo site da Escola. Já a entrega do prêmio acontecerá no dia 18 de março, em um evento realizado na Sede Roosevelt da Instituição.

Prêmio Acessibilidade da São Paulo Escola de Teatro

Categoria Artes no Palco

Cássia Navas (SP)

Destacada pensadora e pesquisadora sobre a dança e interlocutora atuante na área, integrou a equipe do IDART, orientou artistas na Rede Stagium e pesquisas na Unicamp.

Felício Alves (MG)

Cenotécnico, iluminador e eletricista cênico há mais de 50 anos, é considerado um mago dos palcos encontrando soluções cênicas das mais criativas.

Fernanda Amaral (SP)

Coreógrafa, bailarina e pesquisadora, desenvolve projetos voltados para habilidades mistas e em 2003 incorporou ao seu trabalho a formação em DanceAbility.

Marcos Abranches (SP)

Bailarino e coreógrafo que tem paralisia cerebral em decorrência de seu parto. Já atuou em vários espetáculos, muitos com Sandro Borelli, e fundou o Grupo Vidança.

Mostra Internacional de Arte + sentidos (SP)

Organizada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em uma realização da APPA reuniu grupos e montagens nacionais e internacionais, de artistas.

"Ninguém mais vai ser bonzinho" (RJ)

Criada pela Escola de Gente, com o grupo Os Inclusos e os Sisos, a peça ofereceu ao público com e sem deficiência o acesso ao lazer e à cultura de forma inédita.

"Noturno cadeirante" (SP)

O espetáculo da Oficina dos Menestréis contou com a participação de músicos, dançarinos, atores e cantores que deslizaram em cadeiras de rodas.

"Olhando para as estrelas" (SP)

Apresentado pela Associação de Ballet e Artes para Cegos, de Fernanda Bianchini, com cerca de 50 bailarinos; a obra também gerou um documentário.

Tempo festival (RJ) Com o objetivo de valorizar o processo de criação, o festival teve a participação de artistas, filósofos, cientistas, poetas, pensadores e outros agentes culturais.

X-Tudo Cultural (RJ)

Mostra que abrange teatro, dança, música e artes plásticas, ampliando a oferta de atividades e fortalecendo a cultura digital e o hip-hop.

Categoria Cidadania

Cia Teatral Olhos de Dentro (SP)

Projeto que visa à formação teatral para portadores de deficiência física, visual e síndrome de down, mesclando com indivíduos sem essas características através do Curso Livre de Teatro.

Circo Crescer e Viver (RJ)

Circo que junta arte e transformação social em seu picadeiro, com ações nos campos da formação, produção, difusão e fruição das artes circenses.

Claudia Werneck (RJ)

Jornalista, palestrante e escritora com livros sobre inclusão, discriminação e diversidade. Idealizou e fundou a organização da sociedade civil Escola de Gente – Comunicação em Inclusão.

Danilo Miranda (SP)

Diretor do Departamento Regional do SESC, conselheiro do MAM, da Fundação Itaú Cultural, do MASP e do Art for the World (Suíça), entre outros cargos importantes.

Ice Band (MG)

Deficiente físico e visual, o rapper Hudson Carlos de Oliveira criou o projeto Educação para a Vida, que mostra para jovens caminhos e possibilidades de vida, tendo a cidadania como norte.

Lara Pozzobon (RJ)

Dirige o Assim Vivemos – Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, concebeu o Blind Tube, primeiro portal de entretenimento acessível, e colabora em projetos com acessibilidade.

Mais Diferenças (SP)

Associação cuja missão é construir, articular, promover e implementar práticas e políticas inclusivas com os diversos setores da sociedade.

Oficinas SESI Cultural (SP)

Através do SESI Cultural e do SESI Cidadania, as oficinas têm promovido inúmeras ações em comunidades pacificadas, ampliando o conhecimento e transformando vidas.

Rene Silva (RJ) Morador do Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, é repórter, fotógrafo, redator, editor e colunista do Voz da Comunidade, jornal que criou para denunciar os problemas da sua região.

Pessoal do faroeste (SP) Em 2013, o grupo, que pesquisa a vida social e política do povo brasileiro por meio de seu imaginário popular e de sua cultura, encenou uma peça em plena Cracolândia.

Categoria Equipamentos Culturais

CCBB (SP)

Totalmente acessível, tem profissionais com noções de Libras, intérprete no Educativo, educadora surda, audiodescrição de filmes e promoveu a semana de acessibilidade.

Centro de Memória Dorina Nowill (SP)

Primeiro museu brasileiro que considerou a cultura da deficiência visual como patrimônio histórico, tem como missão apresentar a história da luta das pessoas com deficiência visual.

Cine Theatro Brasil Vallourec (MG)

Após restauração, o espaço se tornou todo acessível, com três elevadores e de acordo com as normas de acessibilidade e segurança exigidas pelos órgãos competentes.

Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM (SP)

Com entrada acessível e banheiros adaptados, o museu possui intérprete de Libras, acervo em braile e áudio, mediação para cegos, sinalização visual, rotas de acesso e audiodescrição.

Pinacoteca do Estado (SP)

Museu de artes visuais pertencente à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Possui estrutura física acessível, materiais especiais e equipe capacitada para atendimento a deficientes.

Teatro Sérgio Cardoso (SP)

Com o espaço adequado para receber pessoas com necessidades especiais, sediou a "+ sentidos", mostra internacional de arte sobre acessibilidade.

Teatros da Rede SESC (Brasil)

O Sesc leva o teatro para onde o público estiver. A acessibilidade faz parte disso, e os espaços têm uma série de preocupações, de entrada acessível até acervo em braile e audiodescrição.

Teatros da Rede SESI (Brasil)

Com longa história de apoio às artes cênicas, possuem acessibilidade com rampa de acesso, banheiros e elevadores, além de lugares reservados para cadeirantes.

Oficina Oswald de Andrade (SP)

Primeira oficina cultural criada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, tem entrada acessível, banheiro adaptado, rotas de acesso às salas e cadeira de rodas disponível para uso.

Teatro Vivo (SP) É o primeiro teatro da América Latina a oferecer acessibilidade total a deficientes, com recursos de audiodescrição para pessoas com deficiência visual e legenda para deficientes auditivos.

Categoria Personalidade do Ano

Amanda Tojal (SP)

Museóloga e educadora de museus, coordena o Programa Educativo para Públicos Especiais, da Pinacoteca do Estado de São Paulo, e coordena cursos sobre acessibilidade e educação inclusiva.

Daniel Gaggini (SP)

Cineasta, diretor teatral, coordena o Festival Cine Favela de Cinema e, recentemente, transportou o universo de filme de Tarantino para a realidade dos moradores de Heliópolis.

Gilberto Dimenstein (SP)

Jornalista e empreendedor, coleciona em sua trajetória a criação da entidade Cidade Escola Aprendiz, o site Catraca Livre e o programa Mais São Paulo, entre outros.

Jane Palma (BA)

A museóloga coordena o novo Museu da Misericórdia de Salvador e ministra aulas e palestras sobre ampliação do acesso a deficientes em museus.

José Roberto Sadek (SP)

Ex-secretário-adjunto da Cultura de São Paulo, atualmente é diretor executivo da Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA) e do Teatro Sérgio Cardoso.

Lívia Motta (SP)

Trabalha como audiodescritora e professora de cursos de audiodescrição desde 2005. Foi responsável pela exibição da primeira peça e da primeira ópera com audiodescrição no Brasil.

Luiz Coradazzi (SP)

É diretor de artes do British Council, responsável por eventos como "+ sentidos", "Unlimited: arte sem limites" e "Arte sem limites: trabalhando com públicos e artistas com deficiência".

Lurdinha Danezy Piantino (DF)

Presidente da Associação "Mães" em Movimento (Amem), que promove o desenvolvimento de pessoas socialmente instituídas como deficientes, apoiando as famílias, inclusive nas escolas.

Pablo Capilé (SP)

O produtor cultural é um dos idealizadores do Fora do Eixo, uma rede colaborativa e descentralizada de trabalho constituída por coletivos de cultura.

Pedro Paulo Cava (MG)

Diretor, ator, produtor, gestor cultural e professor. É fundador e diretor do Teatro da Cidade. Idealizador da escola livre Oficina de Teatro, além de atuar no âmbito da política cultural.

Categoria Políticas Públicas

Bruno Covas (SP)

Deputado Estadual e Secretário de Meio Ambiente, participou do lançamento do "Sala de Cenários", do Cetesb, projeto de análise dos licenciamentos ambientais com impacto ambiental.

Estado do Rio de Janeiro (RJ)

Por sagrar-se bicampeão das Paraolimpíadas Escolares, considerado o maior evento de estudantes com deficiência do mundo.

Governo de São Paulo (SP)

Pela entrega de Ambulifts, equipamentos utilizados para auxiliar pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida no embarque e desembarque de aeronaves.

Guti Fraga (RJ)

Diretor teatral, fundador do Grupo Nós do Morro e atual presidente da Funarte, almeja implantar um projeto de formação de público e acesso ao bem cultural no País.

João Paulo Amaral (SP)

Formado em Gestão Ambiental e idealizador do Bike Anjo, projeto no qual ciclistas experientes ensinam gratuitamente as pessoas que querem aprender a usar a bicicleta com segurança.

Marcelo Mattos Araujo (SP)

Advogado e museólogo, foi diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo entre 2002 e 2012, posto que deixou para assumir o cargo de Secretário Estadual de Cultura.

Mapa de Cultura (RJ)

Criado pela Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, o mapa tem pesquisas e mapeamento das manifestações culturais dos municípios fluminenses.

Minas Inclui (MG)

Plano Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, cujo objetivo é fortalecer as políticas públicas para as pessoas com deficiência no Estado de Minas Gerais.

Política Nacional de Saúde da Pessoa com Deficiência (Brasil)

Política do Ministério da Saúde voltada para a inclusão das pessoas com deficiência em toda a rede de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

Viver Sem Limites (Brasil)

Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência).

GRANDE PRÊMIO ACESSIBILIDADE 2013

Maurício Antônio Ribeiro Lopes (SP)

Pela preocupação com a cidade e com o território, por se enforcar nas cordas da liberdade e não se prender às rotinas do exercício profissional, por abrir os olhos para o seu entorno, dialogar com os mais variados agentes de transformação cultural, entre outros, Maurício Antônio Ribeiro Lopes é o nosso homenageado especial no Prêmio Acessibilidade 2013.

Fonte: Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco

Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série


Mais sobre audiodescrição
O dicionário Michaelis põe uma pá de cal na polêmica sobre a grafia de audiodescrição
Poesia com deficiência, de SÉRGIO CUMINO, pessoa com deficiência Com sorriso contemplativo O horizonte banha
O Futuro que Queremos: Trabalho Decente e Inclusão de Pessoas com Deficiência é uma série