Teatro Oi Futuro Flamengo e Ipanema regularmente terão programação com acessibilidade

A partir da peça "Uma Vida Boa", dia 27 de abril, no Oi Futuro Flamengo, uma apresentação a cada mês terá recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva. O projeto acontece na programação dos teatros do Oi Futuro Flamengo e Ipanema, e tem como objetivo incluir pessoas com deficiência auditiva, visual (cegos e pessoas com baixa visão), intelectual, com síndrome de Down, autistas e disléxicos na programação teatral da cidade. Realizado pela Lavoro Produções, empresa pioneira na criação de projetos culturais com acessibilidade, o projeto oferece, por meio dos recursos da audiodescrição, legendas e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), mais acesso e conforto às pessoas com deficiências a espetáculos de teatro. A estreia acontece dia 27 de abril, às XX h, com a peça "Uma Vida Boa", de Rafael Primot, com direção de Diego Liberano.

Minuta de Instrução normativa da Ancine sobre acessibilidade está em consulta pública

Encontra-se em Consulta Pública, até o dia 21 de maio de 2014, a minuta de Instrução Normativa que irá dispor sobre normas e critérios de acessibilidade a serem observados por projetos audiovisuais financiados com recursos públicos federais geridos pela ANCINE. A acessibilidade é uma das matérias da Agenda Regulatória 2013/2014 da Agência Nacional do Cinema, e tem por objetivo estimular a promoção do acesso ao conteúdo audiovisual por pessoas com deficiência.

Cuidado Frágil

A atriz Priscila Jácomo é, antes de tudo, uma palhaça. Daquelas palhaças com orgulho clown, um orgulho que enche o peito e resulta num espirro assim de sonoro e divertido, ó. Há algum tempo ela abandonou o trabalho como fonoaudióloga para se dedicar integralmente ao teatro e às palhaçadas – integra, com outros atores, a trupe Forças Amadas, que, a bordo de um ônibus, leva apresentações, histórias, jogos e improvisações para distintos pontos da periferia da cidade.

Convite acessível para show acessível de Luiza Caspary

A cantora e compositora Luiza Caspary apresenta no dia 25 de abril, na Livraria da Vila do Shopping Pátio Higienópolis, em show totalmente acessível, o disco "O Caminho Certo", álbum produzido com recursos próprios e finalizado por meio da plataforma de crowdfunding Catarse.

Experimentando o Whatscine

Aproveitando o feriadão, fui conhecer o aplicativo para smartphones, que permite a cegos e surdos desfrutarem de cinemas em igualdade de condições com as demais pessoas. Resultado de uma parceria entre o Espaço Itaú, a ONG Mais Diferenças e a Vitrine Filmes, pude assistir "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" com audiodescrição, assim como surdos podem escolher entre acompanhar o filme com legendas em português ou traduzido para a língua de sinais. Esta maravilha está disponível em uma das nove salas do Espaço Itaú de Cinema, que fica localizado na rua Frei Caneca, bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Corinthiano diz ter orgulho em ser audiodescritor na Copa

Milhares de pessoas estarão trabalhando como voluntários durante o período da Copa do Mundo da FIFA, em diversos setores e atividades. Poder participar de um evento grandioso como a Copa já é uma experiência única e inesquecível. Imagine, então, para um corinthiano que terá a oportunidade de estar em todos os jogos que serão realizados na Arena Corinthians, inclusive na abertura da competição, no dia 12 de junho, na partida entre Brasil e Croácia. É o que vai acontecer com Arnaldo Borges.

Paixão de Cristo do Recife tem audiodescrição e lingua de sinais

A partir desta quarta-feira (16) começam as apresentações da 18ª Paixão de Cristo do Recife, às 20h, na Praça do Marco Zero, Bairro do Recife. O espetáculo é gratuito, será realizado até o dia 20 de abril e conta com a colaboração de aproximadamente 450 pessoas, sendo 100 atores, 300 figurantes e 50 técnicos.

Cinema é direito de todos

Há cerca de 10 anos, Ronaldo Alex marcou com uma amiga de ir ao cinema ver "O Irmão Urso". Um evento simples, mas que marcou sua vida. "Ele não tinha sentido. Eu sei que ele não fez por maldade, provavelmente foi mais curiosidade, mas me causou um impacto", conta ele sobre a abordagem de um estranho à porta do cinema.

Cresce o uso de recursos de acessibilidade nos mercados de cinema e TV

Cerca de 3,5% da população brasileira – algo em torno de 6,7 milhões de pessoas, segundo dados do Censo 2010 – sofre de algum tipo de deficiência visual severa, que resulta na incapacidade ou grande dificuldade de enxergar. São números expressivos dentro de um conjunto de 15,8 milhões de brasileiros que têm deficiências motoras, intelectuais e auditivas. Esta verdadeira multidão tem sido alvo, nos últimos anos, de uma série de iniciativas e novas leis destinadas a ampliar sua inclusão na sociedade. Parte importante desse esforço passa pela adoção de recursos de acessibilidade aplicados ao cinema e à televisão, dentre os quais a audiodescrição – a “tradução” de imagens em palavras, realizada de forma sincronizada com a ação na tela – merece destaque.