Afiliadas da Globo disponibilizam audiodescrição para seus espectadores

As TVs Cabo Branco e Paraíba, afiliadas da Globo, passaram a oferecer um novo recurso de acessibilidade para os seus telespectadores. Graças à tecnologia de audiodescrição, os deficientes visuais agora podem acompanhar a programação nacional das emissoras de uma forma mais completa, ouvindo informações sobre as cenas.

O sistema de audiodescrição já é usado em grandes eventos, como na Copa do Mundo e em grandes exposições de arte, através de fones de ouvido distribuídos no local. Com a ampliação do recurso para a TV aberta, os portadores de deficiência visual têm a oportunidade de saber o que está se passando nas cenas com a ajuda de um locutor que descreve imagens, sons, textos e outros detalhes perceptíveis apenas pela visão.

Segundo o gerente de programação das TVs Cabo Branco e Paraíba, Amadeu Lima, o serviço faz parte do projeto da Rede Paraíba de Comunicação de inclusão social. "Dessa forma, nós garantimos que os nossos telespectadores nos acompanhem com mais respeito e dignidade", disse.

A audiodescrição está disponível para quem assiste às afiliadas da Globo no Estado pelo sinal digital, que já cobre 70% da população paraibana. Para ativar a função, os interessados precisam acessar as opções de áudio no menu da televisão com o controle remoto e escolher "Português 3". Primeiramente, o sistema está sendo utilizado nas faixas de filmes Sessão da Tarde, Tela Quente, Temperatura Máxima, Domingo Maior e Supercine. Em breve, outras atrações da programação nacional e os telejornais locais das TVs Cabo Branco e Paraíba também ganharão o recurso.

Closed Caption também faz parte do projeto de acessibilidade das afiliadas da Globo

Além da audiodescrição, outro recurso de acessibilidade é oferecido pelas afiliadas da Globo no Estado há muito tempo: o closed caption (em inglês, legenda oculta), que teve uma extensão significativa em 2013. O sistema passou a funcionar também em programas locais das TVs Cabo Branco e Paraíba desde outubro do ano passado, ampliando o acesso à informação dos deficientes auditivos. Através das legendas, eles ganharam o direito de acompanhar a programação das afiliadas da Globo com textos simultâneos que transcrevem tudo o que é dito e ainda narram os sons, como palmas, passos, trovões, música e risos que acontecem nas cenas.

As emissoras da Rede Paraíba de Comunicação são as primeiras do Estado a garantir que os surdos possam acompanhar os telejornais locais de forma mais clara e acessível, bastando apenas ativar a função pressionando o botão CC no controle remoto.

A preocupação da Rede Paraíba de Comunicação – grupo a que pertencem as emissoras – com a acessibilidade vai além dos serviços na televisão. O Jornal da Paraíba, por exemplo, mantém no portal do informativo um sistema pioneiro que disponibiliza diariamente edições especiais para os cegos. A tecnologia desenvolvida pela equipe de Sistemas e Métodos é capaz de transformar o banco de textos em mp3 e oferecer a versão completa do jornal em áudio, inclusive as colunas e os classificados. O sistema possui uma tela sintetizada, que pode ser comparada a um jogo de batalha naval, com números de 1 a 14 na vertical e letras de A até S na horizontal. Através desse mecanismo, os deficientes podem utilizar o mouse para identificar em que região da tela se encontram.

Fonte: Jornal da Paraíba

Mais sobre audiodescrição
Para responder a pergunta como se produz audiodescrição na televisão, te convido a percorrer uma
Já teve curiosidade de saber como são feitos os recursos de acessibilidade hoje presentes em
Tendo como moderador Edson Moura, a seção das 15h30 da sala 17 do Congresso da


Mais sobre audiodescrição
Para responder a pergunta como se produz audiodescrição na televisão, te convido a percorrer uma
Já teve curiosidade de saber como são feitos os recursos de acessibilidade hoje presentes em
Tendo como moderador Edson Moura, a seção das 15h30 da sala 17 do Congresso da