SDH discute futuro da audiodescrição no Brasil

A audiodescrição nas TVs aberta e por assinatura, nos cinemas e o futuro Regulamento Geral de Acessibilidade da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foram os temas da reunião entre representantes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Anatel e Ministério das Comunicações (MiniCom) na tarde desta quinta-feira (25), na sede da SDH/PR, em Brasília.

Festival Melhores Filmes de 2014: acessibilidade total, como sempre

Chegamos a 41ª edição do Festival Sesc Melhores Filmes. Os 376 filmes – 105 nacionais e 271 estrangeiros – lançados em 2014 estiveram na disputa pelos prêmios em 2015. O Festival Sesc Melhores Filmes é o mais antigo festival de cinema da cidade de São Paulo. Criado em 1974, oferece a oportunidade ao público de ver ou rever o que passou de mais significativo pelas telas da cidade no ano anterior ao evento, a preços populares. E agora com sua sala totalmente renovada.

Formação em Acessibilidade para o Audiovisual

Debater a falta de acessibilidade dos deficientes visuais e ao mesmo tempo qualificar os realizadores de produtos audiovisuais são os principais objetivos do N IMAGENS – Formação em acessibilidade para o audiovisual, que acontecerá entre os dias 24 a 27 de fevereiro, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia. O evento será distribuído entre seminário, oficinas e sessão de cinema, com a abordagem de temas que contemplam a poética da acessibilidade e a universalização dos bens culturais. Todas as atividades serão transmitidas via internet e terão os serviços de audiodescrição e Libras (Língua Brasileira dos Sinais).

Inscrições abertas para ciclo de palestras sobre legendagem e audiodescrição na Cinemateca Brasileira

A Cinemateca Brasileira, localizada no bairro de Vila Mariana em São Paulo, realiza, nos dias 12 e 13 de março, o 1º Encontro Latino-Americano de Legendas e Audiodescrição, dirigido a profissionais e estudantes de tradução, legendagem, audiodescrição e audiovisual. O evento conta com profissionais renomados, como a argentina Monica Bartolomé (tradutora do castelhano para o inglês do filme “O Segredo de seus Olhos”, de Juan José Campanella) e as brasileiras Élida Gama, Sabrina Martinez e Soraya Ferreira Alves.

Previsão do tempo na TV: instável para pessoas cegas

Quem não convive com uma pessoa com deficiência visual dificilmente vai compreender o mecanismo utilizado por elas para acessar as informações veiculadas pela televisão. A capacidade de receber essa informação vendo e ouvindo simultaneamente, traz o entendimento de que esses sentidos estão integrados. Seria redundância, por exemplo, ler o número do telefone que aparece no rodapé da tela ao invés de convidar o telespectador a ligar para “o telefone que aparece no vídeo”. Além disso, cria-se a ideia de que em televisão, tempo é dinheiro, usando essa justificativa para expluir milhares de pessoas que, por qualquer motivo, não conseguem ler. E quando o assunto é previsão do tempo…

Jogo Cego

Jogo Cego conta história sobre atletas e aspirantes com deficiência visual, promovendo um melhor entendimento sobre diversidade e inclusão.

A gente não quer só comida, A gente quer comida diversão e arte

"A gente não quer só comida, A gente quer comida diversão e arte". Os versos dos Titãs resumem um anseio universal,mas que ainda está longe da realidade das pessoas com deficiência. Ter acesso a eventos culturais é um desejo que ainda aguarda pela preocupação de promotores de cultura de adaptar seus eventos e produtos também para esse público. É isso que o Ministério da Cultura espera contribuir para mudar ao oferecer um curso de especialização em acessibilidade cultural, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a gestores públicos de cultura, Pontos e Pontões de Cultura, organizações da sociedade civil e professores de universidades públicas de todos os estados do Brasil, a partir de abril.

PROPOSTA DE PARÂMETROS DESCRITIVOS PARA AUDIODESCRIÇÃO À LUZ DA INTERFACE REVISITADA ENTRE TRADUÇÃO AUDIOVISUAL ACESSÍVEL E SEMIÓTICA SOCIAL – MULTIMODALIDADE

Audiodescrição (AD) é uma modalidade de tradução intersemiótica na forma audiovisual, isto é, é um texto verbal escrito para ser ouvido, ao vivo, pré-gravado ou com auxílio de leitores de tela em computadores; por sua natureza voltada à acessibilidade visual, a audiodescrição contribui para o empoderamento e a inclusão sociocultural das pessoas com deficiência visual (PcDVs), no ambiente do trabalho, do lazer e da família.