Paralimpíada Rio 2016

A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para a cidade. Com o intuito de incluir realmente a todos, a acessibilidade na Paralimpíada do Rio foi aspecto considerado relevante pelos organizadores, não apenas para os atletas, mas também para o público em geral. Dentre os recursos de acessibilidade disponíveis, estão: atendimento preferencial, comentaristas audiodescritivos para o público com deficiência visual, assim como as instalações foram preparadas para receber as pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida.

logomarca Paralimpíadas Rio 2016

Tocha paralímpica

A tocha paralímpica, que tem os quatro valores dos Jogos marcados em braile em sua estrutura – coragem, determinação, inspiração e igualdade – passa por Brasília no dia 1º de setembro, e nos cinco dias seguintes passa por outras cinco cidades, uma em cada região do Brasil: Brasília (Centro-Oeste), Belém (Norte), Natal (Nordeste), Joinville (Sul) e São Paulo (Sudeste), chegando ao Rio no dia 6, para a cerimônia de abertura no dia seguinte.

Tocha Paralímpica Rio 2016

Arenas paralímpicas

Serão 22 esportes disputados em 21 arenas, com venda de ingressos a partir de R$ 10.

O Maracanã é palco das cerimônias de abertura e encerramento da Paralimpíada Rio 2016, nos dias 7 e 18, respectivamente.

O Estádio Olímpico do Engenhão recebe as provas de atletismo. No Estádio da Lagoa serão realizadas as competições de remo e canoagem de velocidade.

As provas de vela acontecem na Marina da Glória, o triatlo no Forte de Copacabana, e o tiro com arco no Sambódromo. No Riocentro, o público poderá conferir halterofilismo, tênis de mesa e vôlei sentado. Já o Parque de Deodoro abrigará as competições de futebol de 7, hipismo e tiro esportivo.

O Parque Olímpico da Barra da Tijuca ficará com a maior parte dos eventos. O local receberá as provas de basquetebol em cadeira de rodas, bocha, ciclismo de pista, futebol de 5, goalball, judô, natação, rugby e tênis em cadeira de rodas.

Arena Paralímpica Rio 2016

Acessibilidade na paralimpíada

O público com deficiência encontrará rampas, elevadores, banheiros extra-acessíveis, que dispõem de maca e guincho para ajudar na transferência, e sanitário específico para cães-guia.

Todos os espaços oferecem serviço de condução em cadeira de rodas de pessoas com deficiência física, assim como a condução de pessoas com deficiência visual. Cães-guia também são permitidos nas instalações. O serviço de audiodescrição das cerimônias e das competições também estará disponível com narração ao vivo.

Os balcões de informações dos parques olímpicos da Barra e de Deodoro contam com um serviço gratuito de empréstimo de cadeiras de rodas. O Rio 2016 disponibiliza estações de recarga para cadeiras motorizadas, que podem ser recarregadas com cabos e adaptadores pessoais.

Os torcedores, com ou sem deficiência visual, terão uma frequência de rádio com a presença de um comentarista esportivo descritivo em cada arena dos Jogos. O serviço vai priorizar uma narração rica em detalhes para aqueles que não tem a oportunidade de enxergar a competição. No vídeo, disponibilizado no canal da Rio 2016 no YouTube, é possível acompanhar a preparação dos comentaristas que serão os olhos dos deficientes visuais na Paralimpíada, confira:

Matéria da Globo sobre o serviço de audiodescrição

Cerimônias de abertura e encerramento

A cerimônia de abertura, que provocou esplendor na Olimpíada, dessa vez será dirigida pelo artista plástico Vik Muniz, pelo escritor Marcelo Rubens Paiva e pelo designer Fred Gelli. Haverá ainda uma grande roda de samba com Maria Rita, Diogo Nogueira, Xande de Pilares, Monarco, Teresa Cristina, Hamilton de Holanda e Pretinho da Serrinha. Apesar da chuva cenográfica que apagou a pira Olímpica no encerramento da olimpíada, a chama será acesa novamente para a Paralimpíada na abertura, e novamente apagada no encerramento. O procedimento é o mesmo com a Pira do Povo, na Candelária.

O serviço de audiodescrição também estará disponível durante as cerimônias de abertura e encerramento da Paralimpíada Rio 2016 para que pessoas com deficiência visual tenham uma experiência completa do evento.

Os principais idealizadores da cerimônia que terá de fisgar o espectador para a Paralimpíada são o escritor Marcelo Rubens Paiva, o artista plástico Vik Muniz e o publicitário Fred Gelli, o mesmo que criou as marcas da Olimpíada e Paralimpíada do Rio.

Como a equipe da abertura dos Jogos Olímpicos fez um bom trabalho em apresentar o Brasil – em uma pequena aula de história visual –, o time da Paralimpíada agora ficará livre para explorar novos temas, com foco na inclusão e na missão de despertar os cinco sentidos da plateia.

O conceito que permeará a cerimônia de abertura, contou Gelli, será "todo o corpo tem um coração". Esse conceito da Olimpíada e da Paralimpíada foi desenhado com base no design universal. É por isso que os atletas que ganharam medalhas receberam também a representação 3D da marca – explicou o publicitário, ressaltando que essa missão será expandida na Paralimpíada.

Entre as novidades para despertar os sentidos que a cerimônia de abertura trará está um efeito de iluminação que vai “cegar” a plateia por alguns momentos. A transmissão do evento pela televisão vai ter um canal de audiodescrição para permitir que pessoas cegas acompanhem o que está acontecendo. Além disso, a equipe planeja fazer uma maquete com os principais elementos cênicos do espetáculo, para que eles possam ser tocados pelos espectadores com deficiência visual presentes no Maracanã.

Abertura Paralimpíadas Rio 2016

Ingressos

Após o êxito da Olimpíada, o interesse em relação à Paralimpíada aumentou muito. Os ingressos, que estavam parados, começaram a ser vendidos rapidamente. Só na última quarta-feira, foram 145 mil entradas, um recorde de vendas em 2016, tanto para a Olimpíada quanto para a Paralimpíada.

São 22 esportes disputados em 21 arenas, números um pouco menores do que o Jogos anteriores, que tiveram 42 modalidades em 32 locais. No entanto, os preços para assistir às competições são bem mais baixos: há ingressos a partir de R$ 10, chegando ao valor máximo de R$ 130. Dos 2.5 milhões disponibilizados, 2 milhões custam até R$ 30. Até agora, 370 mil já foram vendidos.

As vendas são feitas pela internet ou nas cinco bilheterias oficiais. Os pontos de compra do Forte de Copacabana e Parque Olímpico da Barra abrem todos os dias duas horas antes do início da primeira das competições, e fecham após o término da última sessão. Os postos do Shoppings Leblon e Via Parque funcionam de 10h às 22h de segunda a sábado, e de 13h às 21h em domingos e feriados. No Estádio Maracanã, as caixas funcionam de 10h às 18h em todos os dias, menos no dia da cerimônia de Encerramento, que começa às 18h e termina às 22h no Maracanã. A festa de abertura, no dia 7, acontece no mesmo horário e local.

Os preços dos ingressos para a cerimônia inicial vão de R$ 100 a R$ 1200, o mais alto custo na Paralimpíada. Para ver o encerramento, é possível pagar de R$100 até R$1000.

Meia-entrada

Pessoas com deficiências, cadeirantes, idosos, obesos ou com mobilidade reduzida, que são acompanhantes de pessoas com deficiência, têm direito à meia-entrada. Para conseguir obter o desconto, é preciso levar o documento de estacionamento de vaga especial, o documento de passe livre do Governo Federal, Estadual ou Municipal, ou certificado médico com o CRM do profissional e o código CID (número de classificação internacional da doença). Estudantes e professores da rede pública municipal do Rio de Janeiro também têm o benefício, mas somente nas categorias de menor preço.

Transporte para as arenas

A Estação Olímpica São Cristóvão e a Estação Intermodal Maracanã são os principais locais de acesso para quem for assistir às cerimônias e também têm acessibilidade.

O uso da Linha 4 do Metrô continua o mesmo da Olimpíada: só pode ser utilizada por espectadores de competições, e com viagens pagas pelo Cartão Jogos Rio 2016, o RioCard Olímpico. No dia seguinte ao término da Paralimpíada, a linha nova poderá ser utilizada normalmente por qualquer cidadão. Vão haver novas interdições de trânsito e bloqueios de ruas, mas ainda não foram divulgados.

Estação Paralímpica São Cristóvão

Fonte: coletânea de artigos publicados na web

Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
É com muito orgulho que dividimos com vocês, usuários, amigos e colegas profissionais da audiodescrição,


Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos
É com muito orgulho que dividimos com vocês, usuários, amigos e colegas profissionais da audiodescrição,