Cine As Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível

O Cine às Escuras: Mostra Erótica de Cinema Acessível realiza sua segunda edição nos dias 4 e 8 de julho, entre o Centro de Artes e Comunicação (Cac) da UFPE, na Cidade Universitária, e o Cinema do Museu, no Museu do Homem do Nordeste, em Casa Forte.

Cine As Escuras - mostra erótica de cinema acessível

Cine As Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível – cartaz de divulgação.

Cine As Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível trata das manifestações da sexualidade e foca na inclusão das pessoas com deficiência, buscando o protagonismo e o empoderamento dos corpos e desejos. O Cine As Escuras , pioneiro no estado, vai exibir produções audiovisuais de diversos lugares do Brasil e conta com a participação de audiodescritores, locutores, intérpretes/tradutores de Libras, legendistas e consultores com deficiência visual e surdos.

No Centro de Artes e Comunicação da UFPE, no dia 4 de julho, Cine As Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível promove a oficina Audiodescrição em Filmes Eróticos, às 14h, apresentando os princípios e as particularidades da audiodescrição no universo da sexualidade e do erotismo.

A oficina é gratuita e pretende refletir sobre as sutilezas da tradução de cenas, tendo como referência os filmes da primeira edição do Cine Às Escuras, além de estimular os participantes a lidarem com o processo de elaboração de um roteiro audiodescritivo de filmes.

A formação será conduzida por Andreza Nóbrega, coordenadora do Cine As Escuras e da VouVer Acessibilidade. Andreza é mestre em educação inclusiva e especialista em audiodescrição com pesquisa no universo erótico.

"É preciso não ter medo ao descrever as cenas como elas são e, ao mesmo tempo, tentar traduzir a sensualidade presente naquele momento", adianta a professora.

"O Cine As Escuras surgiu da demanda do próprio público. Uma vez, uma espectadora perguntou se eu fazia audiodescrição para filmes com cenas eróticas. Isso chamou a minha atenção para essa questão", conta a produtora do Cine As Escuras. "Muitas vezes, as pessoas com deficiência são vistas como seres assexuados, mas isso não é verdade. Eles são sujeitos com desejos e direitos. Então, é muito importante criar oportunidades para que eles vivenciem essa sexualidade", completa.

Os interessados em participar do Cine As Escuras podem solicitar a ficha de inscrição através do vouverescuras@gmail.com até o dia 2 de julho.

No mesmo dia, no Cac, às 18h, o Cine As Escuras realiza o debate O Erótico no Cinema Pernambucano, com os realizadores audiovisuais Chico Lacerda, Ioanna Pappou e Ruth Steyer. A roda de conversa vai trazer um histórico de filmes locais que abordam temas como o desejo e a sexualidade, além de tratar das experiências dos debatedores na produção dos seus próprios curtas.

A programação do Cine As Escuras no Centro de Artes e Comunicação da UFPE é gratuita, assim como as sessões de exibição no Cinema do Museu, em Casa Forte.

como Era Gostoso Meu Cafuçu - cartaz de divulgação

PraCegoVer: "Como era gostoso meu cafuçu" abre a programação do Cine às Escuras no dia 5 de julho (Foto: Divulgação)

Confira a programação completa do segundo Cine às Escuras – Mostra Erótica de Cinema Acessível

4 de julho
Local: Centro de Artes e Comunicação da UFPE (CAC)
14h às 18h | Oficina: “Audiodescrição em Filmes Eróticos” com Andreza Nóbrega
18h às 19h45 | Mesa de abertura: “O Erótico no Cinema Pernambucano” | Participantes: Chico Lacerda, Ioanna Pappou e Ruth Steyer. Mediação: Amanda Ramos

05 de julho
Local: Cinema do Museu
19h30 | Sessão Cine Às Escuras:
Exibição dos curtas “Como Era Gostoso Meu Cafuçú” (PE) e “Baunilha” (PE)

06 de julho
Local: Cinema do Museu
18h | Sessão Cine Às Escuras:
Exibição dos curtas “Plutão” (RJ) e “O Corpo Nu” (SP)

07 de julho
Local: Cinema do Museu
19h30 | Sessão Cine Às Escuras:
Exibição dos curtas “Cítrica” (SP), “Através” (SP) e “Tupinikuirs” (PR)

08 de julho
Local: Cinema do Museu
19h30 | Sessão Cine Às Escuras:
Exibição do longa-metragem “Batguano” (PB).

Fonte: Por Aqui News

Mais sobre audiodescrição
Um festival que pretende devolver aos mágicos as “luzes da ribalta”, promovendo um encontro entre
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Amantes do cinema francês têm a oportunidade de acompanhar até o dia 22 de junho


Mais sobre audiodescrição
Um festival que pretende devolver aos mágicos as “luzes da ribalta”, promovendo um encontro entre
Produtores e realizadores já podem inscrever seus curtas-metragens com audiodescrição para concorrer no IV VerOuvindo
Amantes do cinema francês têm a oportunidade de acompanhar até o dia 22 de junho