Copa do Mundo da Rússia também terá audiodescrição

A Copa do Mundo na Rússia vai repetir um recurso de acessibilidade para torcedores com deficiência utilizado nos últimos torneios promovidos pela FIFA. trata-se de uma narração especial para cegos e deficientes visuais. O recurso consiste em um profissional especializado em audiodescrição que relata tudo o que acontece durante o jogo para quem não consegue captar todos os detalhes. O serviço de audiodescrição para torcedores com deficiência visual já se tornou requisito obrigatório em todas as copas, sendo oferecido nos torneios disputados na Alemanha, Japão/Coréia, África do Sul e Brasil.

Copa do Mundo na Rússia terá audiodescrição

#PraCegoVer: Estádio Luzhniki fará a final da Copa do Mundo na Rússia.

O objetivo do Comitê Organizador Local é oferecer 200 kits de fones de ouvido em cada uma das 64 partidas da Copa do Mundo na Rússia que serão disputadas entre 14 de junho e 15 de julho de 2018. O uso dos fones será gratuito e reservado para quem tem qualquer tipo de limitação visual. Dos 12 estádios que receberão as partidas da Copa, apenas dois terão a audiodescrição em russo e inglês: a Arena Luzhniki, em Moscou, e o estádio Krestovsky, em São Petersburgo. O primeiro será palco de sete jogos, incluindo a abertura e a final da Copa, enquanto o segundo receberá sete jogos, entre eles uma semifinal e o segundo jogo do Brasil, contra a Costa Rica, no dia 22 de junho. Nas demais arenas, o serviço de audiodescrição será exclusivamente em russo, voltado para os torcedores locais.

O serviço de audiodescrição, usado em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília durante a Copa de 2014, também foi oferecido na última Copa das Confederações, quando quatro narradores trabalharam nas quatro cidades-sede utilizadas no torneio. Segundo dados oficiais, 234 espectadores usaram a ferramenta nas 16 partidas disputadas na Copa das Confederações.

"É importante destacar que todos os torcedores que usaram o serviço de audiodescrição na Copa das Confederações estavam sentados com os demais espectadores no estádio. Ou seja, pessoas cegas ou com deficiência visual não ficaram isoladas e tiveram a mesma experiência dos demais", disse Dmitri Grigoriev, chefe da divisão de serviços ao espectador do comitê local. Procedimento semelhante foi adotado nas Copas do Mundo da Alemanha, Japão/Coréia, África do Sul e Brasil.

Para oferecer tal ferramenta nos jogos da Copa do Mundo, profissionais da comunicação estão fazendo cursos teóricos e práticos na Universidade Russa de Economia Plekhanov. O responsável pelas aulas é Pavel Obiukh, que é deficiente visual.

"Atualmente, as narrações de rádio são muito similares às da televisão. Os comentaristas preenchem as pausas do jogo com informações genéricas, mas um espectador que não pode ver o jogo está interessado nos detalhes do ambiente. No nosso caso, o objetivo é descrever tudo que acontece e deixar as conclusões para o torcedor", explicou Obiukh ao site oficial da Fifa.

Veja aqui tudo sobre audiodescrição em eventos esportivos e nas Copas do Mundo de Futebol.

Fonte: UOL

Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos


Mais sobre audiodescrição
Imagine ter toda a sensação de estar no estádio do Castelão, sentir a vibração da
A Paralimpíada Rio 2016 traz mais de 4 mil atletas de 179 comitês nacionais para
Paradinha Cerebral faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A peça foi um dos projetos