Acessibilidade nas salas de cinema: agora é pra valer?

O diretor-presidente da Ancine, Christian de Castro, e o secretário-executivo João Pinho, visitaram nesta segunda-feira (17) o gabinete da primeira-dama Michelle Bolsonaro para uma conversa sobre acessibilidade nas salas de cinema. Durante o encontro, a Ancine apresentou uma linha do tempo contendo os marcos legais que regulam a acessibilidade no audiovisual.

No encontro, a Agência apresentou um estudo sobre a aplicação da instrução normativa 128 de 2016 que exige a disponibilização de recursos de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Libras em todo o parque exibidor.

Desde ontem, 15% das salas de cinema dos maiores grupos exibidores passaram a ter a obrigação de possuir equipamentos de forma a prover os recursos de acessibilidade. Em setembro, essa obrigação será de 35% das salas para os grandes grupos exibidores e 30% das salas para os pequenos exibidores. Até janeiro de 2020, 100% das salas devem ser acessíveis.

Christian contou ainda que, desde 2016, a Ancine possui uma Câmara Técnica de Acessibilidade para acompanhar a implementação da tecnologia assistiva nos cinemas brasileiros.

Fonte: ANCINE

Mais sobre audiodescrição
Em decisão liminar, o juiz da 14.ª Vara Cível de São Paulo determinou que, a
Misako estuda cada detalhe do filme, passa dias tentando traduzir em palavras o “céu pálido”
O cinema caiu no gosto do brasileiro. Em 2017, 181 milhões de pessoas geraram uma


Mais sobre audiodescrição
Em decisão liminar, o juiz da 14.ª Vara Cível de São Paulo determinou que, a
Misako estuda cada detalhe do filme, passa dias tentando traduzir em palavras o “céu pálido”
O cinema caiu no gosto do brasileiro. Em 2017, 181 milhões de pessoas geraram uma