Postagens do assunto: Museus

Museu Pelé agora tem audiodescrição

Os visitantes com deficiência visual que comparecerem ao Museu Pelé, em Santos (SP), contam agora com o auxílio da audiodescrição realizada por monitores para ‘ver’ todos os itens e painéis expostos sobre o rei do futebol. A moradora de São Bernardo do Campo, Dinacleia Galdino, de 39 anos, esteve hoje na cidade e conheceu o museu pelas palavras do monitor Cássio Quintanilha.

Metropolitan Museum of Art: estratégias de acessibilidade

Os programas de acesso de um dos maiores e mais importantes museus do mundo – o The Metropolitan Museum of Art, de Nova Iorque – são concebidos para ir além da acessibilidade e garantir, de fato, a inclusão de seus visitantes com deficiência. As atuais leis norte-americanas exigem que as organizações públicas ofereçam condições adequadas para que pessoas com deficiência sejam capazes de trabalhar, receber educação e participar da vida cultural de suas comunidades. Por isso, é prática comum em instituições de arte oferecer recursos como audiodescrição, dispositivos de escuta assistida, intérpretes de língua de sinais e banheiros acessíveis. No entanto, esses serviços muitas vezes não fazem parte de um esforço integrado da entidade em estabelecer padrões de acessibilidade em todos os níveis organizacionais. Frequentemente, falta o entendimento de que a inclusão exige profunda reflexão e planejamento minucioso.

O Poeta Voador: exposição acessível no Museu do Amanhã

Pai da Aviação e Patrono da Força Aérea Brasileira, Alberto Santos Dumont tem sua vida e obra como tema da exposição O Poeta Voador – Santos Dumont, aberta nessa terça-feira (26/04), no Museu do Amanhã, na cidade do Rio de Janeiro. A expografia, que segue até 30 de outubro e foi idealizada para homenagear os 110 anos do voo do 14 Bis, apresenta ao público protótipos das principais criações do inventor brasileiro e réplicas em tamanho real do avião Demoiselle e do 14 Bis, contando assim, seu sonho de voar.

Audioguias em Museus: tecnologia atrai mais visitantes

Pesquisadora da Escola Superior de Educação de Bragança estudou a utilização de audioguias em museus portugueses. Poucos os usam, outros usam-nos, mas mal. A acessibilidade a vários públicos tem muitas falhas. A investigação é pioneira e tem aplicação prática que traria vantagens a várias instituições.

Deficientes visuais e auditivos não têm vez nos museus de Recife

A acessibilidade tem sido pauta em diversos debates na sociedade brasileira. A temática é discutida amplamente em diversas esferas, buscando atingir o entendimento de que há a necessidade de promover iguais oportunidades a todos cidadãos. Em equipamentos culturais, a falta de investimento em prol do acesso universal à cultura ainda é uma barreira que portadores de alguma deficiência (PcD) têm de lidar diariamente. No Recife, com menos de um ano de inauguração, os museus Cais do Sertão, Paço do Frevo e Estação Central Capiba não possuem um conjunto completo de estrutura e materiais para auxiliar o público com deficiências mental, visual e auditiva – além de estrangeiros – na compreensão das obras de arte exibidas ou de materiais interativos. E não são apenas esses, falta acessibilidade em todos os museus de Recife!

Um museu feito para nós, por nós

Entre os dias 11 de março e 6 de maio, o Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas, recebe pessoas com deficiência visual e auditiva para a participação em oficinas, que fazem parte do projeto "Um museu feito para nós, por nós". Laboratório de fotografia, música e dança são algumas das atividades presentes nos encontros. Além disso, os participantes farão visitas a locais escolhidos pela organização do projeto e terão contato com a história e o acervo do Palácio dos Azulejos.

Exposição Olhares Negros

A exposição "Olhares Negros", com base no apoio ao registro e à memória, retrata mulheres e homens negros, evidenciando o protagonismo dos indivíduos fotografados, suas trajetórias de vida, o trabalho e, principalmente, as múltiplas formas de resistência negra na cidade de Santa Maria, por meio de fotografias acompanhadas de minibiografias e audiodescrições. O lançamento da Exposição acontece nesta sexta (22), às 20h, no Museu Treze de Maio, localizado na Rua Silva Jardim, 1407, Bairro Rosário

Audiodescrição para deficientes visuais e intelectuais no Museu de Arte Moderna da Bahia

Um universo que pode ser desbravado a partir das sensações e da imaginação, e não apenas pelo olhar. Esta é a proposta da técnica de audiodescrição (AD), que proporciona o maior acesso de pessoas com deficiência visual e/ou intelectual à arte. O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) já utilizou a técnica nas mostras Jorge Amado e Universal (2012) e Esquizópolis, que ficou em cartaz até o último domingo, 1º.